Inventário das estratégias de prevenção criminal pelo design ambiental (Cpted) para espaços públicos

Autores

DOI:

https://doi.org/10.56081/2763-9940/revsusp.v1i2.a9

Palavras-chave:

CPTED, Inventário, Prevenção Criminal, Medo do Crime, Segurança Pública, Espaços Urbanos Seguros

Resumo

O presente estudo objetivou a elaboração de um instrumento de avaliação pós-ocupacional para a verificação de fatores que influenciam comportamentos criminosos e o medo do crime em ambientes públicos. O instrumento foi construído a partir da revisão sistemática da literatura em prevenção criminal pelo design ambiental, em busca de elementos que identificassem características ambientais específicas relacionados ao crime real ou percebido. Os itens elaborados foram submetidos à análise de juízes especializados em arquitetura, direito, segurança pública e psicologia. Buscando validade e fidedignidade, o inventário foi testado em 10 ambientes públicos do Distrito Federal por 24 aplicadores treinados para este fim. A partir de critérios psicométricos, obteve-se um instrumento contendo 58 itens categorizados em 7 dimensões, sendo elas: Iluminação, Manutenção do Espaço, Wayfinding, Vigilância Natural, Territorialidade, Justaposição Geográfica, e Emergência e Acidentes. O instrumento se revelou capaz de facilitar análises e intervenções tanto em ambientes seguros como não-seguros. Tais medidas, além de promoverem a segurança, contribuem para: a saúde mental e física da população; o crescimento econômico; e a redução dos gastos públicos referentes ao crime e ao medo do crime.

Biografia do Autor

Isangelo Senna, POLÍCIA MILITAR DO DISTRITO FEDERAL

Major da Polícia Militar do Distrito Federal (PMDF), doutorando e mestre em Psicologia Social do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília (UnB, 2017). Graduado em Direito pela Universidade Católica de Brasília (UCB, 2006) e pelo Curso de Formação de Oficiais da Academia de Polícia Militar de Brasília (APMB, 2000). Pós-graduado lato sensu em Ciências Policiais, pelo Instituto Superior de Ciências Policiais da PMDF (ISCP/PMDF, 2013); Segurança Pública e Cidadania, pela Universidade de Brasília (UnB, 2012); e Segurança Pública e Direitos Humanos pela UNIEURO/SENASP (2009). Possui experiências como Oficial de Operações, Multiplicador de Polícia Comunitária, Policial das Nações Unidas, subchefe de Escritório de Projetos e Soldado Bombeiro Militar (CBMDF). Como membro da Missão de Paz da ONU para o Timor Leste (UNMIT), entre outras funções, atuou como chefe da Unidade Nacional para Pessoas Vulneráveis (NVPU). Atualmente, chefia a Unidade de Prevenção Criminal do Departamento Operacional da PMDF; conduz pesquisas sobre Medo do Crime e Prevenção Criminal pelo Design Ambiental (CPTED) pelo Grupo Influência do Laboratório de Psicologia Social da UnB e pelo ISCP/PMDF; ministra aulas de Prevenção Criminal na Academia de Polícia Militar de Brasília e gerencia o projeto de implementação da CPTED na PMDF.

Fabio Iglesias, Universidade de Brasília

Sou Professor do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações e do Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura, da Universidade de Brasília. Leciono disciplinas de psicologia social, personalidade, comportamento do consumidor, psicometria, métodos de pesquisa e métodos inferenciais. Fui Chefe do Depto. de Psicologia Social e do Trabalho (2016-2017, a que estive vinculado até novembro/2018), membro do Conselho Nacional de Segurança Pública, Ministério da Justiça (2015-2017), Editor Associado da revista Psicologia: Teoria e Pesquisa (Qualis A1) e 1º Secretário da SBPOT (2012-2014), além de Professor Visitante de Consumer Behavior na Università di Bologna, Italia e na Universidade de Coimbra, Portugal. Como Coordenador do Grupo Influência (www.influencia.unb.br), oriento alunos de graduação, mestrado e doutorado, com financiamentos da FINATEC, CNPq, CAPES, FAPDF, PMDF e BACEN. Tenho investigado temas de psicologia social aplicada à mudança de comportamento, incluindo comportamento do consumidor, segurança pública, comportamento pró-ambiental, trânsito e relações interpessoais, além de ensinar e pesquisar temas de metodologia, psicometria e estatística. Sou um entusiasta da divulgação científica da psicologia e recebi por cinco vezes o Prêmio de Pesquisador Parceiro da Imprensa. Website: www.influencia.unb.br e E-mail: iglesias@unb.br

Lucas Heiki Matsunaga, Universidade de Tohoku

Psicólogo e Bacharel em Psicologia pela Universidade de Brasília. Mestrando em Governança Global e Desenvolvimento Sustentável pela Universidade de Tôhoku(Japão) com apoio do Ministério da Educação, Cultura, Esportes, Ciência e Tecnologia do Japão (MEXT). Fui instrutor de vários cursos de aperfeiçoamento da Polícia Militar e desenvolvi ferramentas de investigação para a Polícia Civil do Distrito Federal.

Referências

ALTMAN, Irwin; LOW, Setha. Place attachment, Human Behavior and Environment, vol. 12. 1992.

BEAUCHEMIN, Kathleen M.; HAYS, Peter. Sunny hospital rooms expedite recovery from severe and refractory depressions. Journal of affective disorders, v. 40, n. 1-2, p. 49-51, 1996.

BECKER, Howard. A escola de Chicago. Mana, v. 2, n. 2, p. 177-188, 1996.

BRANTINGHAM, Paul J; BRANTINGHAM, Patricia. L. (Ed.). Environmental criminology. Beverly Hills, CA: Sage Publications, 1981.

BONDARUK, Roberson Luiz. A prevenção do crime através do desenho urbano. Curitiba: Edição do autor, 2007.

BONDARUK, Roberson. L. Design contra o crime: prevenção situacional do delito através do design de produtos. Curitiba: Edição do autor, 2009.

BOX, Steven; HALE, Chris; ANDREWS, Glen. Explaining fear of crime. The British Journal of Criminology, v. 28, n. 3, p. 340-356, 1988.

CARDIA, Nancy; ADORNO, Sérgio; POLETO, Frederico. Homicídio e violação de direitos humanos em São Paulo. Estudos Avançados, v. 17, p. 43-73, 2003.

CASSEL, J. Health consequences of population density and crowding. In National Academy of Sciences, Office of the Foreign Secretary. Study Committee. Rapid Population Growth: Consequences and policy applications. Baltimore: Johns Hopkins Press, 1971. p. 462-478.

CERQUEIRA, D.; LIMA, R. S. D.; BUENO, S.; VALENCIA, L. I.; HANASHIRO, O.; MACHADO, P. H. G.; LIMA, A. D. S. Atlas da violência 2017. Brasília: IPEA, 2017.

CLARKE, R. V. G. Situational crime prevention. Monsey, NY: Criminal Justice Press, 1997.

CLARKE, R. V. G., & FELSON, M. Routine activity and rational choice. New Brunswick, New Jersey: Transaction Publishers, 1993.

COZENS, Paul; LOVE, Terence. A review and current status of crime prevention through environmental design (CPTED). Journal of Planning Literature, v. 30, n. 4, p. 393-412, 2015.

DESYLLAS, Jake; CONNOLY, Philip; HEBBERT, Frank. Modelling natural surveillance. Environment and Planning B: Planning and Design, v. 30, n. 5, p. 643-655, 2003.

ECK, John. Police problems: The complexity of problem theory, research and evaluation. Crime prevention studies, v. 15, p. 79-114, 2003.

FELSON, M., & CLARKE, R. V. G. (1998). Opportunity makes the thief. Police Research Series, v. 98. London: Home Office, 1998.

FISHER, Bonnie S.; NASAR, Jack L. Fear of crime in relation to three exterior site features: Prospect, refuge, and escape. Environment and Behavior, v. 24, n. 1, p. 35-65, 1992.

FREITAS, W. Espaço urbano e criminalidade: Lições da Escola de Chicago. São Paulo: IBCCRIM, 2002.

GAINEY, Randy; ALPER, Mariel; CHAPPELL, Allison T. Fear of crime revisited: Examining the direct and indirect effects of disorder, risk perception, and social capital. American Journal of Criminal Justice, v. 36, n. 2, p. 120-137, 2011.

GIBSON, James J. The theory of affordances. Hilldale, USA, v. 1, n. 2, p. 67-82, 1977.

GIBSON, Elanor J.; ADOLPH, Karen; EPPLER, Marion A. Affordances. In: The MIT encyclopedia of the cognitive sciences. MIT Press, 1999. p. 4-6.

GRÖNLUND, Bo. Crime in streets and public spaces: reducing fear through urban planning and design. In: Safety, sustainability and future transport. Eicher Goodearth, 2013. p. 301-332.

GOUVEIA, Feliz et al. Mapping CPTED parameters with the LookCrim application. Crime Prevention and Community Safety, p. 1-12, 2021.

GUNTHER, Hartmut. Mobilidade e affordance como cerne dos estudos pessoa-ambiente. Estudos de Psicologia (Natal), v. 8, p. 273-280, 2003.

HALE, Chris. Fear of crime: A review of the literature. International review of Victimology, v. 4, n. 2, p. 79-150, 1996.

HUCK, Nicolas. Pairs selection and outranking: An application to the S&P 100 index. European Journal of Operational Research, v. 196, n. 2, p. 819-825, 2009.

IQBAL, Asifa; CECCATO, Vania. Is CPTED useful to guide the inventory of safety in parks? A study case in Stockholm, Sweden. International criminal justice review, v. 26, n. 2, p. 150-168, 2016.

KINNEY, J. Bryan et al. Crime attractors, generators and detractors: Land use and urban crime opportunities. Built environment, v. 34, n. 1, p. 62-74, 2008.

KITCHEN, T., & SCHNEIDER, R. H. Crime prevention and the built environment. New York: Routledge, 2007.

KOHM, Steven A. et al. The impact of media on fear of crime among university students: A cross-national comparison. Canadian journal of criminology and criminal justice, v. 54, n. 1, p. 67-100, 2012.

LANDIS, J. Richard; KOCH, Gary G. The measurement of observer agreement for categorical data. biometrics, p. 159-174, 1977.

LAWTON, M. Powell. Residential environment and self-directedness among older people. American Psychologist, v. 45, n. 5, p. 638, 1990.

LEE, Jae Seung; PARK, Sungjin; JUNG, Sanghoon. Effect of crime prevention through environmental design (CPTED) measures on active living and fear of crime. Sustainability, v. 8, n. 9, p. 872, 2016.

LINDBLOM, Arto; KAJALO, Sami. The use and effectiveness of formal and informal surveillance in reducing shoplifting: A survey in Sweden, Norway and Finland. The International Review of Retail, Distribution and Consumer Research, v. 21, n. 2, p. 111-128, 2011.

LORENC, Theo et al. Crime, fear of crime, environment, and mental health and wellbeing: mapping review of theories and causal pathways. Health & place, v. 18, n. 4, p. 757-765, 2012.

MACDONALD, Julia E.; GIFFORD, Robert. Territorial cues and defensible space theory: The burglar's point of view. Journal of Environmental Psychology, v. 9, n. 3, p. 193-205, 1989.

MARZBALI, Massoomeh Hedayati et al. The influence of crime prevention through environmental design on victimisation and fear of crime. Journal of environmental psychology, v. 32, n. 2, p. 79-88, 2012.

MIHINJAC, Mateja; SAVILLE, Gregory. Third-generation crime prevention through environmental design (CPTED). Social Sciences, v. 8, n. 6, p. 182, 2019.

MOORE, Keith Diaz. Dissonance in the dining room: A study of social interaction in a special care unit. Qualitative Health Research, v. 9, n. 1, p. 133-155, 1999.

MOORE, Mark Harrison; TROJANOWICZ, Robert C. Policing and the fear of crime. US Department of Justice, National Institute of Justice, 1988.

MUELLER, Anna Rebecca; ROEDER, Mandy. Perception of security and protective strategies: differences between personality prototypes. European scientific journal, v. 10, n. 20, 2014.

NEWMAN, Oscar. Defensible space. New York, N.Y.: Macmillan, 1972.

OLAJIDE, Sunday Emmanuel; LIZAM, Mohd. Experts’ Opinion on the Validation of Socio-Environmental Design Factors (SEDeF) Model as a Residential Neighbourhood Crime Prevention Technique in Nigeria. Traektoriâ Nauki= Path of Science, v. 3, n. 8, 2017.

OWEN, Neville et al. Understanding environmental influences on walking: review and research agenda. American journal of preventive medicine, v. 27, n. 1, p. 67-76, 2004.

PAINTER, Kate A.; FARRINGTON, David P. The financial benefits of improved street lighting, based on crime reduction. Lighting Research & Technology, v. 33, n. 1, p. 3-10, 2001.

PAVIANI, Aldo. Urbanização: impactos ambientais da população. Revista Bioética, v. 4, n. 2, 2009.

SENNA, Isângelo; VASCONCELOS, Ana Maria Nogales; IGLESIAS, Fabio. Parque público e criminalidade: preditores ambientais da percepção de (in) segurança. Gerais: Revista Interinstitucional de Psicologia, v. 14, n. 1, p. 1-22, 2021.

SIDEBOTTOM, A. at al. What works: crime reduction systematic review series. London: University College London, 2015.

STEG, Linda Ed; VAN DEN BERG, Agnes E.; DE GROOT, Judith IM. Environmental psychology: An introduction. BPS Blackwell, 2013.

TAYLOR, Ralph B.; GOTTFREDSON, Stephen D.; BROWER, Sidney. Block Crime and Fear: Defensible Space, Local Social Ties, and Territorial Functioning. In: The Fear of Crime. Routledge, 2017. p. 429-457.

TAYLOR, Shelley E.; REPETTI, Rena L.; SEEMAN, Teresa. Health psychology: what is an unhealthy environment and how does it get under the skin?. Annual review of psychology, v. 48, n. 1, p. 411-447, 1997.

TUAN, Yu-Fu. Topofilia: Um estudo da percepção, estudos e valores do meio ambiente. Trad. Lívia de Oliveira, Difel Difusão Editorial SA, São Paulo, 1974.

HALL, Michael R. Toward a Society Under Law: Citizens and Their Police in Latin America. Journal of Global South Studies, v. 26, n. 2, p. 311, 2009.

SILVA, Caroline Machado. Você tem medo de quê? Percepção de insegurança na vizinhança. 2019. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações) - Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

Waiselfiz, J. J. Mapa da violência 2012: Os novos padrões da violência homicida no Brasil. São Paulo: Instituto Sangari, 2011.

WARR, Mark. Fear of crime in the United States: Avenues for research and policy. Criminal justice, v. 4, n. 4, p. 451-489, 2000.

WILSON, James Q.; KELLING, George L. Broken windows. Atlantic monthly, v. 249, n. 3, p. 29-38, 1982.

WELSH, Brandon C.; FARRINGTON, David P. Making public places safer: Surveillance and crime prevention. Oxford University Press, 20

Downloads

Publicado

2022-12-05

Como Citar

Senna, I., Iglesias, F., & Heiki Matsunaga, L. . (2022). Inventário das estratégias de prevenção criminal pelo design ambiental (Cpted) para espaços públicos. Revista Do Sistema Único De Segurança Pública, 1(2). https://doi.org/10.56081/2763-9940/revsusp.v1i2.a9

Edição

Seção

Artigos