Conflito trabalho-família em segurança pública

uma revisão integrativa

Autores

Palavras-chave:

conflito trabalho-família;, segurança pública;, revisão integrativa.

Resumo

Atualmente, percebe-se que as novas configurações do trabalho permeiam as relações da
vida profissional e familiar, assim, podemos definir conflito trabalho-família como uma
forma de conflito entre papéis em que as pressões dos domínios de trabalho e família
são mutuamente incompatíveis em algum nível. O objetivo deste trabalho foi analisar a
produção nacional e internacional sobre o conflito trabalho-família na segurança pública,
a partir de uma revisão integrativa. As buscas foram feitas utilizando o software Publish or
Perish, durante as duas últimas décadas. Após aplicação de critérios de inclusão e exclusão,
foram analisados 39 artigos. Para identificação da tendência de crescimento ou decréscimo da produção utilizou-se o teste não paramétrico de tendência de Mann-Kendall. Os
resultados indicam predominância de publicações nos EUA com crescimento dos estudos
na Índia. Conclui-se que há um crescimento das publicações da temática, considerando a
descoberta de sua relevância para a população investigada.

Biografia do Autor

Victoria Ayelen Gomez

Possui Graduação em Psicologia pela Universidade Nacional de Córdoba (U.N.C.), Argentina. Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho, das Organizações e Clínica do Trabalho pela Universidade Nacional de Brasília (UnB), Brasil. Doutoranda em Psicologia Clínica e Cultura no Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura PPGPsiCC do Instituto de Psicologia da Universidade de Brasília (UnB). Membro do Laboratório de Psicanálise, Subjetivação e Cultura - UnB. Trabalha com ênfase em psicopatologias, análise da lógica das instituições de saúde mental, saúde do trabalhador, Clínica do Trabalho a partir da Psicodinâmica do Trabalho e a Psicanálise, alcoolismo, dependência química e sofrimento psíquico, prazer e sofrimento no trabalho, psicopatologias do trabalho, trabalho-identidade, sintomas psicóticos, psicoses e angústias.

Martina Mazzoleni

Doutoranda e Mestre em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília (UnB). Graduada em Psicologia pela Universidade Federal do Rio Grande (FURG). É membro do Grupo Influência (http://www.influencia.unb.br), do Laboratório de Psicologia Social da UnB. Possui interesse em temas relacionados a comportamento pró-social, cooperação, dilemas sociais e normas sociais.

Carlos Manoel Lopes Rodrigues, Centro Universitário de Brasília

Possui graduação em Psicologia pela Universidade Federal de Uberlândia (2001) e Mestrado em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações (Psto) pela Universidade de Brasília (2018). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Trabalho e Organizacional, e em Medidas e Instrumentação Psicológica. Atualmente é Professor Adjunto do Centro Universitário de Brasília - UNICEUB na área de Avaliação Psicológica e Psicodiagnóstico.

Alice Miranda Bentes

Graduanda em Psicologia pela Universidade de Brasília (9º semestre)

Mikaelly de Araujo Aquino

Psicóloga e bacharela pela Universidade de Brasília (UnB); Integrante do Laboratório de Pesquisa em Avaliação Psicológica - LabPAM, coordenado pela Profa. Dra. Cristiane Faiad.

Cláudio Vaz Torres, Universidade de Brasília

Possui graduação em Psicologia pela Universidade de Brasília (1988), mestrado em Psicologia pela Universidade de Brasília (1991) e Ph.D. em Industrial Organizational Psychology - California School of Professional Psychology (1999), pós-doutorado em Marketing pela Griffith University, Austrália (2004), pós-doutorado em Cross-cultural Research pela University of Sussex, Inglaterra (2009), pós-doutorado em Cross-cultural Psychology and Human Values pela Hebrew University of Jerusalem, Israel (2013) e pós-doutorado em Basic Human Values na University of Haifa (2018). Em todos estágios pós-doutorais, desenvolveu e validou para amostras brasileiras medidas para uso em pesquisa transcultural, notadamente o Questionário Refinado de Valores - PVQ-RR. Atualmente é revisor do JCCP - Journal of Cross-cultural Psychology; IJIR - International Journal of Intercultural Research; American Psychologist Journal; Revista Psicologia: Teoria e Prática; RAC - Revista de Administração Contemporânea; e RAM - Revista de Administração da Mackenzie. Avaliador de trabalhos da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração. É filiado à Associação Nacional de Pesquisa e Pós-graduação em Psicologia, na qual coordena um Grupo de Trabalho em Psicologia e Segurança Pública. Membro da International Association for Cross Cultural Psychology, da qual também é o Representante Regional para a América do Sul. Parte das atribuições desta representação inclui a aplicação, para o contexto nacional, de pesquisas transculturais a carências e problemas sociais da América do Sul. Tem experiência na área de Psicologia Transcultural, atuando principalmente nos seguintes temas: valores humanos básicos, valores culturais, psicologia política, comportamento do consumidor e diversidade cultural e inclusão. Desenvolveu intervenções em diversidade para escolas públicas nos níveis fundamental e médio. 

Thiago Gomes Nascimento, Instituto de Educação Superior de Brasília

outor em Ciências de Gestão pela Escola Doutoral de Ciências Econômicas e de Gestão da Aix-Marseille Université (AMU, França) e Doutor em Administração, com foco em Inovação e Estratégia, pela Universidade de Brasília (UnB, Brasil). Realiza Pós-doutorado em Ciência do Comportamento, com ênfase em Segurança Pública, Crime e Medo do Crime, com bolsa da CAPES - PROCAD Segurança Pública e Ciências Forenses pelo Programa de Pós-graduação em Ciência do Comportamento da Universidade de Brasília. Realizou Pós-doutorado em Psicologia Organizacional, com ênfase em Cognições Compartilhadas em Equipes de Trabalho, pelo Programa de Pós-graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações da Universidade de Brasília e Pós-doutorado em Administração Pública pelo Centro de Administração e Políticas Públicas do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (CAPP/ISCSP/ULisboa, Portugal). É Mestre em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações pela Universidade de Brasília. Realizou as seguintes Pós-graduações Lato Sensu: Especialização em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas; Especialização em Segurança Pública e Cidadania pela Universidade de Brasília; Especialização em Ciências Jurídicas pela Universidade Cruzeiro do Sul; e Especialização em Ciências Policiais pelo Instituto Superior de Ciências Policiais. Coordenador e Professor do Mestrado Profissional em Gestão Estratégica de Organizações e Professor dos Cursos de Administração, Gestão e Psicologia do Centro Universitário Instituto de Educação Superior de Brasília (IESB). Atua também como Professor do Instituto Superior de Ciências Policiais (ISCP) e Professor e Pesquisador Colaborador Pleno do Programa de Pós-graduação em Ciência do Comportamento do Departamento de Processos Psicológicos Básicos da Universidade de Brasília (PSTO/UnB). Pesquisador Integrado do Centro de Administração e Políticas Públicas do Instituto Superior de Ciências Sociais e Políticas da Universidade de Lisboa (CAPP/ISCSP/ULisboa, Portugal).

Sérgio Eduardo Silva de Oliveira, Universidade de Brasília

Possui graduação em Psicologia pelo Centro Universitário de Lavras (UNILAVRAS, 2009), especialização em Avaliação Psicológica pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS, 2014), mestrado (2012) e doutorado (2016) em Psicologia também pela UFRGS. Durante o doutorado, realizou estágio na University of Minnesota sob orientação do Prof. Dr. Robert F. Krueger. Atualmente é professor concursado da Universidade de Brasília (UnB), atuando junto ao Departamento de Psicologia Clínica (PCL) e ao Programa de Pós-Graduação em Psicologia Clínica e Cultura (PsiCC) do Instituto de Psicologia da UnB. Ele coordena o Núcleo de Estudos em Avaliação Psicológica Clínica (NEAPSIC) e o projeto de extensão Serviço de Avaliação Psicológica (SAPsi). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Avaliação Psicológica, atuando principalmente nos seguintes temas: avaliação psicológica, psicometria, personalidade, patologia da personalidade e psicopatologia. 

Maria José Chambel, Universidade de Lisboa

Possui doutorado em Psicologia pela Universidade de Lisboa (1998). Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Psicologia do Trabalho e Organizacional. Professora Associada com Agregação na Faculdade de Psicologia da Universidade de Lisboa (Portugal), atua na área de Psicologia dos Recursos Humanos, do Trabalho e das Organizações. Leciona as seguintes disciplinas (unidades curriculares): Competências Relacionais em Psicologia; Comportamento Organizacional; Stress e Bem-estar no Trabalho e nas Organizações. Em suas pesquisas desenvolve estudos relacionados à Relação de Emprego e Motivação no Trabalho; Contrato PsicológicoBem-estar no Contexto Organizacional e Relação entre o Trabalho e a Família (Vida Pessoal).

Cristiane Faiad, Universidade de Brasília

Possui graduação, mestrado e doutorado em Psicologia pela Universidade de Brasília. É professora Departamento de Psicologia Clínica da Universidade de Brasília, do Programa de Pós Graduação em Psicologia Social, do Trabalho e das Organizações e atual coordenadora do curso de graduação em psicologia da UnB. Atuou como assistente técnica em perícias de Avaliação Psicológica pela União e na elaboração de Análise Profissiográfica (Estudo Científico do Cargo) e Mapeamento de Competências em Segurança Pública no Brasil. Trabalha na área de Avaliação Psicológica. É coordenadora do Grupo de Pesquisa em Avaliação Psicológica em Segurança Pública e Privada, fundado em 2009. Atualmente coordena o Laboratório de Pesquisa em Avaliação e Medida (LabPAM/UnB). É Psicometrista, com experiência em Construção e Validação de Testes, Escalas e Outras Medidas Psicológicas, em Seleção de pessoal (pública e privada) e Gestão de Pessoas.

Referências

AHMED, F. Burnout among Traffic Police Officials of Islamabad City: A Report. Eletro- nic Research Journal of Social Sciences and Humanities, v. 1, p. 1-15. 2019. Disponível em: https://www.researchgate.net/publication/340771896_Burnout_among_Traffic_Police_Officials_ of_Islamabad_City_A_Report.

AKOENSI, T. D. ‘In this job, you cannot have time for family’: Work–family con- flict

among prison officers in Ghana. Criminology & Criminal Justice, v. 8, p. 207-225.

Disponível em: 2018https://doi.org/10.1177/1748895817694676.

ALLEN, J. A.; CROWE, J.; BARAN, B. E.;SCOTT, C. Organizational identification: A

context-specific mitigating resource of work–family conflict. Journal of Contin- gencies and Crisis Management, v. 24, p. 27-35. Disponível em: 2016https://doi.

org/10.1111/1468-5973.12102.

BANDEIRA, R.; CHAMBEL, M. J.; CARVALHO, V. S. Influence of the Work-Family Re- la- tionship on Perceived Health 5-Years Later: The Moderating Role of Job Insecurity.

Soc Indic Res. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1007/s11205-020-02509-2.

BAZANA, S.; DODD, N. Conscientiousness, work family conflict and stress amongst

police officers in Alice, South Africa. Journal of Psychology, v. 4, p. 1-8. 2013. Disponí- vel em: https://doi.org/10.1080/09764224.2013.11885487.

BURKE, R. J.; MIKKELSEN, A. Benefits to police officers of having a spouse or partner

in the profession of police officer. Psychological reports, v. 95(2), p. 514-516. 2004.

Disponível em: https://doi.org/10.2466%2Fpr0.95.2.514-516.

BURKE, R. J.; MIKKELSEN, A. Burnout among Norwegian police officers: Potential

antecedents and consequences. International Journal of Stress Management, v. 13(1),

p. 64-83. 2006. Disponível em: https://doi.org/10.1037/1072-5245.13.1.64.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em:

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm.

DE ANDRADE, A. L.; MORAES, T. D.; SILVA, P. M.; DE QUEIROZ, S. S. Conflito traba- lho- -família em profissionais do contexto hospitalar: análise de preditores. Revista de

Psicología, v. 38(2), p. 451-478. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.18800/psi- co.202002.004.

DÖNMEZ, M.; DURU, H.; BEZ, O. The Determinants Of Work And Family Conflict

Among Police Officers In Diyarbakir Police Department. Turkish Journal of Police

Studies/Polis Bilimleri Dergisi, v. 15(4), p. 135-156. 2013. Disponível em: https://app.

trdizin.gov.tr/publication/ paper/detail/TVRVek5Ea3pNdz09.

FRONE, M. R.; RUSSELL, M.; COOPER, M. L. Antecedents and outcomes of work-family

conflict: Testing a model of the work-family interface. Journal of Applied Psychology, v. 77(1), p. 65-78. 1992. Disponível em: https://doi.org/10.1037/0021-9010.77.1.65.

GREENHAUS, J. H.; BEUTELL, N. J. Sources of conflict between work and family roles.

Academy of management review, v. 10(1), p. 76-88. 1985. Disponível em: https://doi.

org/10.2307/258214.

GRIFFIN, J. D.; SUN, I. Y. Do work-family conflict and resiliency mediate police stress

and burnout: a study of state police officers. American Journal of Criminal Justice, v.

(2), p. 354-370. 2018. Disponível em: https://doi.org/10.1007/s12103-017-9401-y.

GRZYWACZ, J. G.; MARKS, N. F. Reconceptualizing the work–family interface: An

ecological perspective on the correlates of positive and negative spillover between work and family. Journal of Occupational Health Psychology, v. 5(1), p. 111–126.

Disponível em: https://doi.org/10.1037/1076-8998.5.1.111.

HARZING, A.W. Publish or Perish (Version 7.21.7445) [software de computador]. 2007.

Disponível em: https://harzing.com/resources/publish-or-perish/windows.

HE, N.; ZHAO, J.; ARCHBOLD, C. A. Gender and police stress. Policing: an international

journal of police strategies & management, v. 25(4), p. 687-708. 2002. Disponível

em: https://doi. org/10.1108/13639510210450631.

HOWARD, W. G.; DONOFRIO, H. H.; BOLES, J. SInter-domain work-family, family-work

conflict and police work satisfaction. Policing: An International Journal of Police

Strategies & Management, v. 27(3), p. 380-395. 2004. Disponível em: https://doi.

org/10.1108/13639510410553121.

ISLAM, T.; KHAN, M. M.; AHMED, I.; USMAN, A.; ALI, M. Work-family conflict and job

dissatisfaction among police officers: mediation of threat to family role andmodera- tion of role segmentation enhancement. Policing: An International Journal, v. 43(2),

p. 403-415. 2020. Disponível em: https://doi.org/10.1108/PIJPSM-06-2019-0087.

JANZEN, B. L.; MUHAJARINE, N.; KELLY, I. W. Work-family conflict, and psychological

distress in men and women among Canadian police officers. Psychological Reports, v. 100(2), p. 556-562. 2007. Disponível em: https://doi.org/10.2466/pr0.100.2.556-

KE, J.; ZHOU, J.; ZHU, W. The Impact of Police Work-Family Conflict on Turnover

Intentions: The Roles of Organizational Support and Job Burnout. Open Journal

of Social Sciences, v. 7(4), p. 1-12. 2019. Disponível em: https://doi.org/10.4236/

jss.2019.74001.

KENGATHARAN, N. The nature of work family conflict: A review and agenda for future

research. International Journal of Human Resource Studies, v. 5(2), p. 163-188. 2015.

Disponível em: https://doi.org/10.5296/ijhrs.v5i2.7630.

KOSSEK, E. E.; LEE, K. H. Work-family conflict and work-life conflict. Oxford Rese- arch Encyclopedia of Business and Management. 2017. Disponível em: https://doi.

org/10.1093/acre-fore/9780190224851.013.52.

LAMBERT, E. G.; QURESHI, H.; FRANK, J. Spilling over: An exploratory study of the correlates of strain-based work–family conflict among police officers in India. International Journal of Police Science & Management, v. 18(2), p. 87-103. 2016. Disponível

em: https://doi.org/10.1177%2F1461355716641972.

LAMBERT, E. G.; QURESHI, H.; FRANK, J.; KEENA, L. D.; HOGAN, N. L. The re- lationship

of work-family conflict with job stress among Indian police officers: A research note.

Police Practice and Research, v. 18(1), p. 37-48. 2017. Disponível em: https://doi.org/10.1177/0032258X18761285.

LEITE, C. N.; OLIVEIRA, E. B. Estratégias de defesa adotadas por traba- lhadores da

saúde frente à violência relacionada ao trabalho na Saúde da Família. Saúde Coleti- va (Barueri), v. 9(49), p. 1477-1482. 2020. Disponível em: http://revistas.mpmcomu- nicacao.com.br/index.php/saudecoletiva/article/view/111. MANN, H. Nonparametric Tests Against Trend. Econometrica, v. 13(3), p. 245-259.

Disponível em: http://dx.doi.org/10.2307/1907187.

MIKKELSEN, A.; BURKE, R. J. Work-family concerns of Norwegian police officers: Antecedents and consequences. International Journal of Stress Management, v. 11(4), p.

-444. 2004. Disponível em: https://doi.org/10.1037/1072-5245.11.4.429.

MOREIRA, M. G.; SILVA, A. H. A influência do conflito trabalho-família e o com- pro- metimento com a carreira na percepção de sucesso na carreira de mulheres do- cen- tes. Revista Alcance, v. 25(2), p. 177-193, mai/ago 2018. Disponível em: https://doi.

org/10.14210/alcance.v25n2.

MOSTERT, K. Time-based and strain-based work-family conflict in the South African

Police Service: Examining the relationship with work characteristics and exhaustion.

Acta Criminologica: African Journal of Criminology & Victimology, v. 21(3), p. 1-18.

Disponível em: https://journals.co.za/content/crim/21/3/EJC28994.

OLIVEIRA, T. S.; FAIMAN, C. J. S. Ser policial militar: reflexos na vida pessoal e nos

relacionamentos. Revista Psicologia Organizações e Trabalho, v. 19(2), p. 607-615.

Disponível em: https://dx.doi.org/10.17652/rpot/2019.2.15467.

O’NEILL, O. A.; ROTHBARD, N. P. Is love all you need? The effects of emotio- nal

culture, suppression, and work–family conflict on firefighter risk-taking and health.

Academy of Management Journal, v. 60(1), p. 78-108. 2017. Disponível em: https://

doi.org/10.5465/ amj.2014.0952.

Downloads

Publicado

2021-08-24 — Atualizado em 2021-08-30

Versões

Como Citar

Gomez, V. A., Mazzoleni, M., Lopes Rodrigues, C. M., Bentes, A. M., Aquino, M. de A., Torres, C. V., Nascimento, T. G., Silva de Oliveira, S. E., Chambel, M. J., & Faiad, C. . (2021). Conflito trabalho-família em segurança pública: uma revisão integrativa. Revista Do Sistema Único De Segurança Pública, 1(1). Recuperado de http://revistasusp.mj.gov.br/susp/index.php/revistasusp/article/view/11 (Original work published 24º de agosto de 2021)

Edição

Seção

Revisão de literatura