Clima organizacional na Polícia Civil

elaboração de instrumento e proposta de intervenção

Autores

Palavras-chave:

clima organizacional;, instrumentação psicológica;, polícia.

Resumo

O clima organizacional tem sido relacionado a outros construtos como satisfação, bemestar e qualidade de vida no trabalho, cultura organizacional e a resultados organizacionais como produtividade e desempenho. Tem se configurado, ainda, como uma importante ferramenta de diagnóstico organizacional e proposição de melhoria de condições do
trabalho, tanto em organizações públicas quanto privadas. Entretanto, ainda é escasso o
número de trabalhos que utilizem o clima organizacional em instituições de segurança
pública. O presente artigo foi baseado em um estudo de caso de caráter exploratório,
seccional, com abordagem quanti-qualitativa na Polícia Civil de Santa Catarina. A coleta
de dados foi realizada por meio da aplicação do Questionário de Clima Organizacional
da Polícia Civil (QCOPC) na etapa estadual. Os resultados da análise fatorial exploratória
demonstraram indícios de validade interna e apontaram para sete dimensões de análise:
Percepção sobre a Chefia; Valorização Profissional; Relacionamento Interpessoal; Identificação com o Trabalho; Desenvolvimento Profissional; Conforto e Equipamentos; e Carga
de Trabalho. As análises apontaram para a necessidade de revisão de políticas de valorização profissional, acessibilidade e disponibilidade de cursos e treinamentos, melhoria de
condições de trabalho e da distribuição da carga de trabalho. Como forma de mudança do
clima organizacional, propôs-se a criação de estratégias e políticas de gestão de pessoas
como a realização de comitês de clima para a participação efetiva dos próprios policiais
na resolução de problemas.

Biografia do Autor

Lilian Cristina Schulze, Policia Civil de Santa Catarina

Doutoranda em Psicologia pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Mestre em Administração pela Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC (2020). Graduada em Psicologia (2002) e especialização em Saúde da Família (2006) pela Universidade Federal de Santa Catarina - UFSC. Especialista em Terapia Relacional Sistêmica pelo Familiare Instituto Sistêmico (2006). Trabalha como Psicóloga Policial Civil atuando na Coordenadoria de Valorização Profissional da Gerência de Gestão de Pessoas da Polícia Civil de Santa Catarina, com Avaliação de Desempenho e produtividade, Diagnóstico e Clima Organizacional e Estágio Probatório. Supervisora de estágio em Psicologia do Trabalho e professora colaboradora da Academia de Polícia Civil - ACADEPOL em disciplinas: Abordagem Sociopsicologica da Violencia e do Crime, Psicologia e Politicas Publicas, Integracao e acompanhamento de grupos, Nocoes Sociologicas do Crime e da Violencia, Discussao Critica das Relacoes Humanas no Cotidiano das Guardas Municipais, Criminologia" e Abordagem em Saude Ocupacional. Tem experiencia na área de Psicologia Jurídica, com enfase em Segurança Pública e na área de Psicologia do Trabalho e Gestão de Pessoas.

Ana Silvia Serrano Ghisi

Possui graduação em Direito pela Universidade Federal de Santa Catarina, Especialização em Direito Penal e Processual Penal e Especialização em Polícia Comunitária, Mestrado em Gestão de Políticas Públicas. Tem experiência na área de Direito Público, atuando principalmente nos seguintes temas: Segurança Pública, Gênero e Políticas Públicas, Direito Penal, Direito Administrativo, Direitos Humanos e Polícia Comunitária.

Diogo Picchioni Soares, Polícia Civil de Santa Catarina, Delegacia Geral da Polícia Civil

Doutor em Psicologia (UFSC, 2017), Mestre em Psicologia (UFPR, 2011), Especialista em Psicologia do Trabalho (UFPR, 2011) e Psicólogo (UFPR, 2007).

Vanessa Laner Garcia Costa, Secretaria da Segurança Pública e Defesa do Cidadão de Santa Catarina

Possui graduação em Psicologia pela Universidade do Vale do Itajaí (2010) e MBA em Gestão Estratégica de Pessoas pela Universidade do Vale do Itajaí (2012). Atualmente é psicóloga na Secretaria da Segurança Pública e Defesa do Cidadão de Santa Catarina. Tem experiência na área de Psicologia, com ênfase em Recursos Humanos e Perícia Psicológica.

Roberto Moraes Cruz, Universidade Federal de Santa Catarina

Psicólogo, especialista em avaliação psicológica, ergonomia e psicologia ocupacional, doutor em engenharia de produção, pós-doutorado em Métodos e
Diagnóstico e Medicina Molecular. Atualmente é professor e pesquisador do Departamento e Programa de Pós-Graduação em Psicologia da Universidade Federal de
Santa Catarina. Líder do Laboratório de Fatores Humanos (UFSC) e pesquisador do Núcleo de Pesquisa em Neuropsicologia em Saúde (hospital Universitário-UFSC).
Linhas de pesquisa: 1) construção e adaptação de métodos e instrumentos de avaliação de processos psicofisiológicos, psicológicos e psicossociais; 2) avaliação de
aspectos clínicos e epidemiológicos em saúde ocupacional; avaliação e gestão de fatores humanos em ambientes isolados, confinados e extremos (ICE). Consultor
em programas de saúde e segurança no trabalho, perito psicólogo.

Referências

AMAYA, L. E.; MARTINEZ, J. J. Una aproximación al clima organizacional en la Policía

Nacional Civil (PNC) de El Salvador. Policía Y Seguridad Pública, v 2, n. 6, p. 269-306,

CARDOSO, H. F; FORLINI, J. B; DIAS, J. P. Clima e suporte organizacional: avaliação e

relação entre as temáticas. CES Psicol, Medellín, v. 12, n. 2, p. 65-82, ago. 2019.

CASTRO, M. C. A; CRUZ, R. M. Prevalência de transtornos mentais e percepção de

suporte familiar em policiais civis. Psicologia: Ciência e Profissão, v. 2, n. 35, p. 271-

, 2015.

GOMES, R; SOUZA, E. R. A identidade de policiais civis e sucessivos espelhamentos.

Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 18, n. 3, p. 601-610, mar. 2013.

HAIR, J. F.; BLACK, W. C.; BABIN, B. J.; e TATHAM, R. L. Análise multivariada de dados. 6.

Porto Alegre: Bookman, 2009.

MARTINS, M. C. F. Clima organizacional. In: SIQUEIRA, M. M. M. (Org.). Medidas do

comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e gestão. Porto Alegre:

Artmed. 2008.

MATOS, D. A. S; RODRIGUES, E. C. Análise fatorial. 1. ed. Brasília: Enap Fundação Escola Nacional de Administração Pública, 2019.

MILANEZ, M. G. A Influência do líder no clima organizacional. 2017. 28 Folhas. Trabalho de Conclusão do Curso (MBA em Liderança e Coaching para Gestão de Pessoas) – Centro de Ciências Empresariais e Sociais Aplicadas, Universidade Norte do

Paraná, Forquilhinha, 2017.

NEVES, J. A. B. Modelo de equações estruturais: uma introdução aplicada, Jorge Alexandre Barbosa Neves. Brasília: Enap, 2018. Disponível em: https://repositorio.enap.

gov.br/handle/1/3334. Acesso em: 25 nov. 2020.

O’CONNOR W. E.; MORRISON, T. G. A Comparison of Situational and Dispositional

Predictors of Perceptions of Organizational Politics. The Journal of Psychology:

Interdisciplinary and Applied, v. 3, n. 135, p. 301-312, 2001.

SANTA CATARINA. Tribunal de Justiça de Santa Catarina. Nova pesquisa de satisfação

dos colaboradores do Poder Judiciário de Santa Catarina. 2017. Disponível em: www.

tjsc.jus.br/documents/37870/137341/Relat%C3%B3rio+PSC+2017/e22198cd-0b5a-

-4251-8f32-dd93a7e2d8a3. Acesso em: 23 nov. 2020.

PUENTE-PALACIOS, K.; MARTINS, M. C. F. Gestão do Clima organizacional. In: BOR- GES, L. O.; MOURÃO, L. (Org.). O trabalho e as organizações: atuações a partir da

Psicologia. Porto Alegre: Artmed, p. 253-278.

PUENTE-PALACIOS, K. E.; PACHECO, E. A.; SEVERINO, A. F. Clima organizacional e

estresse em equipes de trabalho. Psicologia: Organizações e Trabalho, v. 1, n. 13, p.

-48, 2013.

RUEDA, F. J. M.; SANTOS, A. A. A. Escala de Avaliação do Clima Organizacional (CLIMOR). São Paulo: Vetor, 2011. RUEDA, F. J. M.; SANTOS, A. A. A.; LIMA, R. C. Relação entre satisfação no trabalho e

clima organizacional: um estudo com trabalhadores. Boletim de Psicologia, v. 137, n.

, p. 129-140, 2012.

SANTOS J, A. A. dos; SOUZA, R. J.; CABRAL, A. B. Clima organizacional em organiza- ções policiais militares. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, [S.l.], v. 5, n. 1, mar. 2009.

SCHULZE, L. C.; GRILLO-RODRIGUES, A. P.; ZAPPELLINI, M. B. Revisão sistemática de

publicações científicas relacionando o comprometimento organizacional e sentido

e/ou significado do trabalho. Comunicação oral. IX CBPOT 2020 – A crise no trabalho: “Novos” dilemas para a prática. 2020.

SCHULZE, L. C.; SOARES, D. P.; COSTA, V. L. G.; GHISI, A. S. S. Clima organizacional na

Polícia Civil de Santa Catarina: estudo de caso em uma delegacia de Florianópolis.

III Congresso Internacional de Desempenho no Setor Público. Anais... 2019.

SOARES, D. P. Transtornos mentais em policiais civis de Santa Catarina: perfil epidemiológico e associação com dados sociodemográficos e ocupacionais. Tese (doutorado), Universidade Federal de Santa Catarina. 2017.

UNGARI, D. F. A influência da cultura organizacional no desenvolvimento dos vínculos organizacionais: estudo de caso na polícia militar de Santa Catarina. Dissertação

(mestrado) – UDESC. Florianópolis. 2019.

ZANINI, M. T.; MIGUELES, C. P.; COLMERAUER, M.; MANSUR, J. Os elementos de coor- denação informal em uma unidade policial de operações especiais. RAC, Revista de

Administração Contemporânea, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, art. 6, p. 106-125, jan./fev.

Downloads

Publicado

2021-08-24

Como Citar

Schulze, L. C., Serrano Ghisi, A. S., Soares, D. P., Garcia Costa, V. L., & Cruz, R. M. . (2021). Clima organizacional na Polícia Civil: elaboração de instrumento e proposta de intervenção. Revista Do Sistema Único De Segurança Pública, 1(1). Recuperado de http://revistasusp.mj.gov.br/susp/index.php/revistasusp/article/view/31

Edição

Seção

Artigos